Desafios da fertilidade na construção do perfil de solo

O projeto Mestres do Solo lançado pela TMF Fertilizantes em abril, tem como objetivo reunir especialistas em fertilidade de solos para discutir com produtores e pessoas ligadas a cadeia do agronegócio a importância de boas práticas agrícolas e conservação e manejo do solo.

Em suas duas últimas edições realizadas em Passo Fundo – RS e Cascavel – Paraná, o professor doutor Telmo Amado da Universidade Federal de Santa Maria destacou a importância e a necessidade dos produtores se preocuparem com a construção do perfil do solo afim de conseguirem melhorar o sistema radicular e buscarem altas produtividades.

Na busca de incrementos de produtividade faz-se necessário manejar os fatores limitantes e entre estes, destaca-se a ocorrência de déficits hídricos de curta duração em estádios fenológicos críticos. Nesta primeira parte da resposta, o enfoque foi o de melhoria química do perfil evitando a formação de um gradiente vertical, no qual tem-se uma camada enriquecida de 0-10 cm com uma transição abrupta nos atributos da camada adjacente, que se mantém com baixa qualidade química. Se este fato ocorrer, o sistema radicular das culturas econômicas tende a ficar superficial com até 80% do sistema radicular concentrado na camada superficial. Mas na construção do perfil de solo favorável ao desenvolvimento e aprofundamento do sistema radicular
faz-se ainda necessário manejar fisicamente e biologicamente este recurso.

Destaca-se que, inicialmente a atenção deve ser dada para a camada superficial é necessário que ela esteja quimicamente equilibrada, com elevada taxa de infiltração de água, com satisfatória porosidade, com teor de matéria orgânica adequado, com porosidade contínua, protegida por resíduos vegetais, com elevada diversidade e atividade biológica. Para fins nutricionais das culturas anuais, esta é a camada mais importante. Ao mesmo tempo, que estratégias de manejo sejam adotadas para que as camadas subsuperficiais sejam também melhoradas, talvez não no mesmo nível da camada superficial, porém em nível mínimo para o desenvolvimento radicular.

Para o professor Telmo os desafios são grandes, especialmente, sob sistema plantio direto quando os insumos são aplicados em superfície ou na camada superficial, os resíduos vegetais também são depositados na superfície (nutrientes de ciclagem), existe ocorrência de camadas subsuperficiais compactadas (12 – 17 cm) caracterizadas pela elevada resistência a penetração (>2 MPa), elevada densidade e baixa porosidade e monocultivos associado ao descuido quanto a cobertura e rotação na entresafra.

Outras dificuldades são:

    • Tempo: o tempo necessário para a construção de um perfil de solo favorável ao desenvolvimento e aprofundamento do sistema radicular (estratégia de manejo de médio a longo prazo), costumo comparar com a recuperação do teor de matéria orgânica, sabe-se que é um processo que demanda tempo, porém é necessário e se a caminhada é longa, o primeiro passo é sempre o mais importante;

 

    • Custo: o custo pois algumas estratégias podem demandar um investimento expressivo dos produtores, quanto a doses e frequência de fertilizantes e corretivos, disponibilidade de sementes de qualidade para a rotação de culturas, potência de tratores e aquisição ou recuperação de escarificadores/subsoladores, ou fertilizadoras profunda, amostragem de solo de camadas subsuperficiais, levantamento do estado da resistência a penetração estão inseridos neste item. Embora, particularmente, como pesquisador estou totalmente convencido que este custo é um investimento, com elevada probabilidade de retorno;

 

    • Operacional: algumas estratégias são demoradas, demandam umidade do solo correta e mão de obra disponível que dependendo da área a ser trabalhada e do tamanho da janela disponível podem ser limitantes;

 

    • Conhecimento ou informação: existe a necessidade de um volume de pesquisa maior sobre as principais estratégias de diagnóstico, espacialização e melhoria das camadas subsuperficiais visando o entendimento do processo. Ainda, por integrar condições de clima, solo e planta faz-se necessário experimentos de maior duração que os tradicionais de 2 a 3 anos. O benefício da construção de um perfil favorável ao aprofundamento do sistema radicular é mais expressivo em anos com déficit hídrico ou situações de estresse as culturas. Neste processo, julgo importante o resgate da experiência dos agricultores inovadores que já vem investindo neste processo que geraram cases de sucesso que podem direcionar os esforços da pesquisa e dos consultores/agricultores;

 

    • Soluções ajustadas ao tipo de solo e clima: a agricultura é uma das atividades mais influenciada por condições sitio-especificas há que se respeitar as características do solo quanto a textura, estrutura, profundidade de horizontes, condições químicas iniciais e de clima em relação a distribuição e regularidade da precipitação. Assim, embora os processos envolvidos guardem semelhanças a necessidade de ajustes locais;

 

    • Estrutura fundiária/parcerias/arrendamentos: práticas que demandam estratégias de médio prazo dependem de uma certa segurança de que a pessoa que fez o investimento irá ter a oportunidade de colher os frutos da melhoria conquistada.

 

“De maneira alguma gostaria de desestimular os agricultores/consultores a buscarem a construção de um perfil de solo favorável ao desenvolvimento e aprofundamento do sistema radicular, estratégia de manejo que julgo ser fundamental para que o Brasil possa se consolidar com o supridor mundial de produtos primários” menciona o prof. Telmo.

O gerente nacional de vendas da TMF Fertilizantes, Vagner Cassol destaca que iniciativas como o projeto Mestres do Solos proporcionam o encontro entre agrônomos, técnicos e produtores rurais para levantar a discussão de como fazer uma construção da fertilidade do solo em menor tempo e de menor investimento para o produtor.

Conforme destacado pelo professor Telmo alguns dos problemas encontrados são o tempo e o custo de tecnologias e pensando nisto a TMF Fertilizantes desenvolve produtos que proporcionam ao produtor uma recuperação de solos degradados e uma melhora na fertilidade de solos em um curto período de tempo com menor custo aplicado. Sua  tecnologia vem tendo grande aceitação no mercado pelo seu fácil manejo e resultados obtidos em todo território nacional.

“Assim vimos que para aumentar nossa produtividade temos que investir mais nos solos brasileiros e deixarmos um legado para as próximas gerações” ressalta Vagner Cassol.

Projeto Mestres do Solo

O projeto Mestres do Solo se estenderá para outros estados do Brasil com a participação do prof. Telmo Amado. Ainda este mês acontecerão eventos em Cascavel – Paraná e Passo Fundo – Rio Grande do Sul. Outros eventos estão programados para Goiás e Tocantins.

Sobre o professor Telmo Amado

O professor Telmo Amado possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria,  mestrado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, doutorado em Ciência do Solo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul  e pela Auburn University, EUA. Possui Pós-doutorado na Kansas State University.

Atualmente é professor titular da Universidade Federal de Santa Maria. Tem experiência na área Manejo e Conservação do Solo É um dos fundadores do do Mestrado Profissional em Agricultura de Precisão na UFSM.



Conversar no Whatsapp